Airbus realizou testes que permitem uma aeronave taxiar, descolar e aterrar de forma completamente autônoma.

Os pilotos apenas acompanharam a descolagem realizada de forma autônoma pelo piloto automático do avião

VER O VIDEO DO TESTE

A Airbus realizou a primeira descolagem autônoma feita por um avião comercial na história. Um Airbus A350 realizou uma descolagem automática, baseado apenas em um novo sistema de câmeras que permitiram a aeronave manter o alinhamento com a pista e iniciar uma subida conforme o planeamento.

O voo contou, por segurança, com dois pilotos de testes e três engenheiros a bordo. Durante descolagem, o comandante apenas acelerou o avião, mantendo as mãos nos comandos (aceleradores) até o limite da velocidade de decisão (V1), quando o automatismo e velocidade da aeronave seria os pilotos apenas acompanharam o avião iniciando a subida, para em seguida recolher o trem de aterragem.

Segundo a Airbus, os ensaios foram conduzidos em 18 de dezembro, embora apenas em 16 de janeiro tenha sido divulgado. Na ocasião, o avião realizou um total de 8 decolagens em um período de quatro horas e meia de testes.

“Enquanto completávamos o alinhamento na pista, esperando autorização do controle de tráfego aéreo, acionamos o piloto automático”, explicou Yann Beaufils, piloto de testes da Airbus. “Movemos as alavancas do acelerador para a posição de descolagem e monitoramos a aeronave, que começou a mover-se e acelerar, mantendo automaticamente a linha central da pista, na velocidade exata de rotação inserida no sistema. O nariz da aeronave começou a levantar-se automaticamente e alguns segundos depois estávamos no ar”.

O sistema criado pela Airbus envolve uma câmera de alta resolução que permite ao avião saber seu alinhamento na pista, que combinados com dados de velocidade e aceleração, possibilitam o piloto automático realiza a descolagem no momento exato. O funcionamento é diferente para a aterragem, onde uma série de instrumentos de rádio, como o Instrument Landing System (ILS) direcionam o avião na rampa correta para o toque na pista.

O sistema batizado de ATTOL (Airbus Autonomous Taxi, Take-Off & Landing) foi lançado em 2018, quando o fabricante europeu passou a desenvolver a capacidade e recursos para aplicação prática. Embora seja ainda um demonstrador de tecnologia, o ATTOL poderá auxiliar os pilotos em situações de clima adverso ou mesmo em aeroportos críticos, aumentado a eficiência e segurança do voo. A Airbus afirma que o objetivo não é criar uma aeronave autônoma, mas sim explorar tais tecnologias que ao lado de outras inovações em áreas como materiais, eletrificação e conectividade, poderão auxiliar a projetar novas aeronaves no futuro.

Os próximos passos do projeto incluem taxiar, descolagem e aterragem automática, que devem ocorrer ainda em meados de 2020.

Texto adaptado de: www.aeromagazine.uol.com.br